domingo, 23 de abril de 2017

Minha selvageria

Cheguei a pensar por algum momento que vinha perdendo minha selvageria... mas isso não pode ser verdade. Não posso ser alma subtraída. Todos aqueles que eu toquei o coração de alguma forma, vem sendo capazes de relembrar minha voz e meus sorrisos...e me aquecem. No final das contas é apenas isso que importa. E traiçoeiro do mundo que nos faz esquecer disso. Esquecer o nosso melhor, esquecer aqueles que nos fizeram companhia, esquecer o que nos sequestra e entorpece por alguns minutos nos dias que precisam sair em ordem e darem certo no final. Esquecer é a maior tragédia que pode acontecer. Tem uma cobra preta em cima da minha cama agora. Uma cobra tão preta que brilha. Curiosamente sinto que deveria estar com medo dela, mas impressionada não consigo. Sonhei com ela. Era pra ter sido um pesadelo, um azar, como um gato preto que passa e deixa fumaça...mas, ela é minha. De alguma forma ela nada mais é do que minha agora. Passo a entender que estando na minha cama, é o maior sinal de intimidade que eu tenha com todas as situações que pareciam perigosas, que me cercavam e me tiravam o sono. Que transição é essa que não consigo sentir medo dela? Imagino, ela enorme na cama de muitos e o estrago que ela pode fazer caso se pense muito sobre ela e tão pouco sobre o que fazer com ela. Por aqui acabou...Havia uma sensação de ser engolida, de desproteção, de quase mordida e constante retaguarda. Agora não. Posso dormir com tudo isso e tranquilamente acordar consciente de que da pra lidar sem medo. Sou muito mais selvagem do que eu podia imaginar e talvez o que eu perdi de verdade foi o significado que eu tinha de coragem. Corajosa eu sou todo dia, quando dou passos lentos e enfrento com medo mesmo. Nada mais selvagem do que estar inteligente para perceber de forma tão intensa e não se perder, não quebrar, não cair e agir, simplesmente conseguir agir de maneira leal a cor da sua voz e sorriso. Não se pode esquecer isso. Só pode ser isso que realmente importe no final das contas.

Nenhum comentário: