quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

porta de não abrir

ainda tem batidão no meu coração, ainda tem sonho, ainda tem plano, ainda tem contagem regressiva, isso não pode ser amor, mas eu ainda preciso de você. pensar você, imaginar você, me torturar. a memória guarda olhares misteriosos, a alma guarda os flashes, o inconsciente retoma temas, cenas, vontades que nunca puderam acontecer, esclarecendo o que era fantasia e realidade. o que é que fazia parte da realidade que não era minha e nem a tua? estávamos juntos e não estávamos ao mesmo tempo. quando você entrou por aquela sala pela primeira vez, foi do meu lado que você sentou. mas da ultima vez, ficou esquisito, frio, introspectivo, quis morrer. por que não te ajudei a procurar aquele pen drive? você não me disse nada na festa, me fez invisível... eu enchi a cara, dessa vez eu não estava mais feliz, no seu aniversário na boate, eu estava. eu estava de verdade. e queria você, falar seu nome, olhar nos seus olhos, beijar seu pescoço... dessa vez é o seu tempo, inerte... meu coração não poderia desrespeitar sua históra, vida, traumas e trato. é você. é seu tempo, sua história mal acabada acabando, meu peito sinistro aguardando, escorrendo, tremendo...quem sabe um dia. por um segundo cheguei a pensar que eu fosse louca, que tinha criado tudo, só não confirmei porque enquanto eu via o vídeo na parede, enquanto eu te via ali na parede, eu sabia que tudo que tinha acontecido nesses meses não era de mentira, você realmente me dá alegria. uma alegria tão bela e selvagem que há tanto tempo não reconheço minhas cores, que há tanto tempo eu não encaixava nos meus planos. e então, você veio aparecendo do meu lado, você queria ser visto, não era ? tudo parou, parou de verdade. a música, as pessoas, fui capaz de ver apenas você e o vídeo e uma linha de sofrimento da qual eu não poderia evitar, eu não podia te cumprimentar. me desculpa mas eu não podia, eu era a visita agora e você pelo visto também não queria. mas como me coçei, como me coçei pra dizer algo, pra me controlar, pra não gritar no meio da sua cara, bagunçar suas regras. eu vou te pegar. esse dia vai chegar. eu não sei como, mas estaremos bem melhores e quem sabe no mesmo tempo. eu sei. Onde você está?! Como é teu beijo? Como é teu sexo? Não foi assim que você se comportou comigo naquela época. talvez, talvez eu também tivesse muito medo, agora também sou capaz de perceber. haviam muitas pistas e iscas das quais eu também corri.Você sumiu ali, é por que ela estava ali? E eu sai dali, e nós saímos e fechamos um ciclo que nunca se completou. nunca mais... mas agora, justo agora você resolveu espiar... não vou dizer que eu não ligo, mas não posso e quero ver nossos filhos, não posso e quero ver nossos netos, não posso e queria te ver de verdade. 

Nenhum comentário: